A cidade de pedra

A cidade de pedra

O dia começava a clarear e o ônibus foi diminuindo a velocidade, o que significava que estávamos chegando. abri os olhos, ainda meio dormindo, quase pude jurar estar sonhando. do lado direito uma montanha com inúmeras formações de pedras com janelas e portas, as casas da capadócia que sempre sonhei conhecer. do outro, dezenas de balões começavam a subir ao céu, a luz da manhã nos deixava ver apenas seus contornos. meus olhos encheram de lágrimas, não dava para acreditar no que via.

a capadócia fica na região central da turquia, chamada anatólia. as cidades de göreme e ürgüp são a sede para conhecer tudo que está a volta. a história da capadócia começou em 1800 a.c., quando pequenos reinos dominavam a região, que depois foi dominada pelos persas, seguidos pelos romanos. durante o período romano e bizantino, capadócia serviu de refúgio dos cristãos, que entre os séculos ix e xi construíram as igrejas, monastérios e cidades escondidas debaixo da terra, para servir de esconderijo!

como muitos dizem, capadócia tem uma paisagem lunar. um cenário árido composto por pedras. a cor da cidade é bege e mesmo as novas construções seguem este padrão. estar lá é como estar em um outro planeta, para todos os lados que se olha se vê pedra sobre pedra, que são casas, igrejas, restaurantes, hotéis.

o vôo de balão é de tirar o fôlego. foi o primeiro vôo que fiz na vida. no momento em que o piloto começa a “aquecer” o balão com jatos de gás, a adrenalina começa a correr no corpo. então o balão descola do chão, começamos a subir, a paisagem vai surgindo devagar e junto com ela outros muitos balões do outro lado da montanha! é como estar flutuando… faz silêncio no ar… que é interrompido pelos jatos de gás. o balão sobre 1.000m, de onde podemos ter uma ótima dimensão do tamanho da capadócia e, desce tão baixo, de onde podemos ter noção de como vivem as pessoas dentro daquelas casas, seu tamanho e textura. é realmente como estar voando naquele jatinho ultra moderno do “star wars”, não é a toa que george lucas usou a capadócia como cenário!

a região é grande e se tem dimensão disso neste vôo. mas como em todas as cidades turísticas, as ruas principais são duas, passear na cidade inteira não leva mais de uma tarde.

porém ao redor há muito o que se ver. ruínas de cidades agora desabitadas, monastérios, igrejas, palácios… tudo feito de pedras! é possível entrar em muitos deles, inclusive na “underground city”, uma cidade criada embaixo do solo, onde cristãos chegaram a viver mais de 3 meses sem ver a luz do dia. uma cidade submersa com 7 andares, onde no primeiro andar ficavam os animais por causa da facilidade de sair e voltar e, nos outros andares interligados por muitas escadas e túneis – muitas vezes secretos feitos para as fugas – quartos, salas de encontro, cozinha, igreja, poços para fazer chegar água na tal cidade.

para mim capadócia era um sonho de muito tempo e, mesmo com algumas coisas diferentes do que eu imaginei, estar lá foi como estar dentro de um livro de história antiga, dentro de um filme, foi como voltar no tempo e respirar o mesmo cheiro de pedra e terra de 1800 a. c. como disse no começo do texto, aquela cena da chegada na cidade, seguida de dois dias mágicos, me dão a impressão de que a capadócia foi apenas um sonho!

  1. Ro
    Vc esta linda como sempre e os artigos que vc comenta são fora de serie,Aproveitem muito e contina contando as “aventuras” da viagem.
    Bj
    1001 p/ vc e 1 p/ Guto

  2. Adorei as fotos, mas, gostei demais das fotos dos balões! Parecem bolhas de sabão numa cidade de pedra!
    Estou com saudaaaaaades!
    bjs

  3. ro, adorei as bolhas de sabão!
    segundo um amigo que conheci lá, parece uma invasão extra terrestre pacífica! adorei as definições.
    beijos e saudades tb!

  4. faço das palavas dos colegas acima, as minhas!
    mas não posso deixar de acrescentar: quem são os “peça rara” que estavam com vcs? haha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

56 + = 66