Homem primata, capitalismo selvagem

Homem primata, capitalismo selvagem

Algumas descobertas, curiosidades e afirmações que tivemos sobre a Índia e que achamos muito interessante saber! Algumas outras conclusões tiradas por nós que conhecemos uma Índia mais pobre, não necessariamente é assim em todo o país.

A questão das vacas: elas estão na cidade, vagando e, não são de ninguém porque um dia elas foram de um fazendeiro, mas quando pararam de dar leite não serviam mais e eles as deixaram ir. Uma crueldade, falta de amor, chame como quiser. Aí você começa a olhar as vaquinhas gordinhas nos “quintais” das casas na beira da rua, presas à árvores e esse cena já é tão ruim quanto vê-las por aí, já que no minuto que deixarem de interessar serão largadas e passarão a ter o mesmo destino das outras.

Quando perguntamos a um indiano se as pessoas tem animais de estimação na Índia, já que tem tantos cachorros soltos, ele me responde que sim, olha para o lado nos aponta uns búfalos e diz: estes, por exemplo são “pet”, estão no pasto de alguém que quando for pra casa os levarão com eles. Estes são os pets da Índia. Já vi homem na rua fazendo carinho em vaca ou alimentando bezerro. Cachorro na coleira, no máximo três.

Sobre os costumes, soubemos mais sobre o sistema de castas, que já foi bem forte aqui na Índia, mas hoje em dia não é tanto. Uma pessoa de uma casta mais alta pode casar com outra de uma casta mais baixa, apesar de sempre gerar uma certa vergonha para a família mais rica (no Brasil com algumas exceções vivemos o mesmo). Narender, por exemplo é da casta dos religiosos, mas optou por ser motorista e ter uma agência de turismo. E tudo bem. A base da sociedade é  capitalismo e um “dalet”, das castas mais pobres, hoje pode ficar rico. E assim vai.

A esposa não podia chamar o marido pelo seu nome na frente dos outros, mas hoje em dia, assim como as castas, isso está mudando. Elas os chamavam de “Gi” (se pronuncia Dgi), que é um jeito carinhoso de se referir ao marido, assim como nos referimos a alguém formalmente como “Senhor”.  Ou seja, o tal “marido” na novela, era mas não era… poderia ser um “Bem”, “Querido”, enfim…

Quando você vem à Índia cada um te fala uma coisa diferente: um te diz que a melhor e mais barata fábrica de tecidos é em Delhi. O outro diz que em Jaipur tem uns que você não encontra em lugar nenhum e com os melhores preços. O mesmo com jóias, móveis, etc… importante saber que em qualquer lugar da Índia se encontram as mesmas coisas, às vezes um pouco melhor, mais cara, mas esqueça a sensação de que se está perdendo alguma coisa quando você não vai conferir. Fomos em fábricas em duas cidades para saber que tem tudo em todo lugar! E a propaganda acontece porque qualquer pessoa que te ofereça para parar em um lugar para comprar com certeza tem comissão na tal loja e por isso ela é única.

A Índia é um país extremamente machista. Cansei de me incomodar com o “good morning sir”, e pra mim nada. A maioria das pessoas fala olhando apenas para o homem. Vem à mesa do restaurante retirar pedido e se dirige ao homem. Algo que cansa, mesmo.

Na mesma linha: é verdade sim (eu custei a acreditar que poderia acontecer) que os homens mexem com as mulheres, falam coisas, olham descarados mesmo estando com o marido do lado. Aconteceu inúmeras vezes. O uso de regata e shorts ajuda, mas não muda muito com calça e camiseta com manga. Passei 23 dias de calor insuportável… sonhando com uma regata!

Continuando: fomos jantar duas vezes em cada de indianos. Para nossa surpresa alguns costumes bem diferentes dos nossos. Comemos na sala de estar (a única que havia), com os pratos na mesa de centro. A esposa cozinha, mas não senta à mesa. Algo que nos deixa desconfortável e que se mostra bem típico da cultura machista. Ela fica numa função cozinhar, levar, trazer pratos, talheres, mal conversa com os convidados, enquanto o marido faz as honras da casa. Estranho, impessoal.

Na Índia não há coleta de lixo!!!!!!! Em todas as calçadas lixos se misturam a pedras, porcos, cachorros, vacas. Sujo, triste. Além disso, indo contra tudo o que vemos em prol do meio ambiente, aqui se queima lixo! Chocante!

A prática do escarro e arroto aqui é comum. Não se assuste se um dia em um restaurante ou mesmo em um hotel, o garçom arrotar. Nojento mas verdadeiro. Já escarro, desvie na rua para não ser atingido por um.

Tomar água só de garrafa. Para escovar o dente também. Mas aí vem mais informações: água de garrafa que tenha sido engarrafada fora da Índia! Aí você descobre que a Coca-Cola e a Pepsi são donas da Índia. Refrigerantes, sucos, águas… Beba Aquafina ou Kinley. Para escovar os dentes as outras servem. Não tomar gelo. Não comer coisas cruas (saladas, frutas), tomar cuidado onde come. Não comer em barracas de comida na rua. É de enlouquecer a quantidade de cuidados. Mas devo dizer, que estranhamente, ou cuidadosamente, saí invicta da Índia!

Mulheres: levem papel higiênico sempre na bolsa!!! Não tem em lugar nenhum!!! No hotel tem, pouco mas tem.

Em 20 dias de Índia passamos por apenas uma situação em que uma pessoa nos

ofereceu ajuda simplesmente por gentileza. Dificilmente uma pessoa veio bater papo, oferecer ajuda, explicar alguma coisa, sem um interesse por trás. Aqui há que se tomar muito cuidado a cada olhada pro lado, alguém se aproxima de você, você dá liberdade, ele quer uma recompensa.

Aqui, em todo lugar se vê o símbolo da suástica, por nós mais conhecido pelo mal uso feito pelo Hitler. É um símbolo muito antigo, muito usado na Índia e Ásia, em todos os templos, casas, hotéis, carros  tem significados positivos como renovação, fortuna, prosperidade. O símbolo não é usado ao contrário como muitos pensam, mas na maneira como nos acostumamos a ver, outras com um ponto no centro dos 4 quadrados que se formam, outras ainda com as 4 pontas levemente viradas para fora.

A relação dos indianos com o dinheiro é estranha, ao mesmo tempo que precisam muito, dão muito valor, não respeitam, jogam na mesa, recebem e não agradecem.

…..

Aí estávamos no carro, indo de Agra para Amritsar. Um carro parou no meio da estrada sem mais, nosso carro brecou atrás, uma moto que vinha de sei lá onde brecou em cima, um vaca passou do lado, o Guto olhou pra mim e disse: “Não entendi nada!”.

Eu respondi: “Por que? O resto você entendeu tudo, né? “

    1. x…. difícil saber… muitos deles nunca sairam da Índia, então devem achar que o mundo é assim… que isso é normal… é uma cultura muito fechada!
      senti que é um povo amargurado… não sei dizer sobre felicidade. não vi…

  1. Guto e Ro, seguindo o péssivo costume indiano, coloquei o Guto na frente de Ro. Agora mesmo é que eu só vou conhecer a India através de seus relatos e fotos. Sujeira e machismo não dá. Quando estive na Sicilia, em Piazza Armenina, visitei uns mosaicos da época dos romanos e achei estranho ao ver o símbolo da suástica num deles. Flávia me disse que esse era o símbolo do poder, usado de maneira errada por “aquele do mau”. Acho que vou criar um búfalo em meu apto. que tal?  Quanto ao papel higiênico, em Cuba é assim mesmo. Beijocas e até a próxima.

    1. Lúcia,
      Pois é… a gente vai tentando se adaptar a este mundo louco!
      Obrigada mais uma vez pela msg!
      Parabéns adiantado… estamos à caminho do Tibet… lá não teremos comunicação por uma semana… então já se sinta parabenizada. Com tudo de melhor nesse mundo!
      Até a volta!
      beijos

  2. Oi lindinha, obrigada pelos votos de aniversário. Viajarei no dia 16 a noite e quando voltar quero saber noticias do Tibet. Beijocas nos dois.

  3. Oi casal !!!! Estou acompanhando todos os passos de vcs na India!!! E fiquei muito impressionada com a pobreza, sujeira e relatos de vcs… e ao mesmo tempo encantada com tanta paisagem linda, luz, templos inacreeditaveis!!! Realmente é muito paradoxo! Mas tb uma experiencia e tanto!!
    O que mais me impressionou foram os macacos andando nos fios eletricos!!!! Jesus amado!!! Muito surreal!!!
    Tá muito bom ler sobre suas experiencias!!! eu que estou aqui em Sertaozinho, fim do mundo, posso viajar o mundo atraves de vcs!!! E vcs nao sabem!!! eu leio em voz alta pro meu pai e minha mae que tbestao adorando a viagem de vcs!!! kkkk
    É muito bom isso!!!
    Mil beijos pra vcs!!! mande sempre noticias e fotos!!!

    1. Lê,
      Adorei que é feita sessão de leitura para o blog… rs… o que seus pais estão achando!
      Lê, adoro que vc sempre escreve aqui! Como vai a vida no Sertão?
      beijo grande,
      Ro

  4. Ro e Guto, 
    so vi a mensagem de vcs no nosso blog agora… Na verdade, eh o Jan quem tem escrito mais por la, enquanto eu tomo conta do meu em portugues… rs
    O blog de vcs ta uma delicia de ler… e to super feliz por saber q vcs conseguiram abstrair e ir um pouco mais fundo!
    E a Kumbh… demais naum eh? tamo indo pra la em 1 semana…
    Mas e ai? ainda estao por aqui?
    Eu to em McLao Ganj, cidade onde o Dalai Lama mora… falando nisso, ele vai estar por aqui esses dias, entao, se estiverem na India, podiam dar um pulinho aqui.
    Se ja sairam, vamos tentar manter contato de outra forma (facebook ou email) e assim talvez a gente possa se encontrar em outro pais.
    bjo gigante e desejo de uma viagem tranquila e segura por todo o lado! Que a alma seja mais enriquecida do q qq ouro no mundo possa comprar!

  5. Queridos Rô e Guto,
    São 4hs30m da manhã do dia 14/04.Acordei de repente com uma tremenda saudade de vocês.Liguei o computador e cá estou lendo o  RELICARIO.
    Rô você têm um “dom”especial.Sua capacidade de sentir e escrever é incrível.Acho que eu teria as mesmas sensacões que você teve,se eu visitasse a India(TFC-Tô Fora Correndo).
    Beijos em você e no Guto
    Mané

    1. Tio fofo!!!
      Saudades de você também e muito feliz que você nos acompanha.
      Obrigada pelo o que disse… quem sabe não mudo de profissão na volta!? Acho que os sentimentos que vem à tona aqui nos trazem inspiração, é isso.
      beijo enorme,
      Ro

  6. Ro
    è uma delicioa “viajar” com vc e o Guto. A 1a. coisa que eu faço quando ligo cp é: 1° saber se vcs estão bem e depois acompanhar o dia a dia e controlar a saudade. Continuem se cuidando e nada de loucuras de pulos e paraquedas.Bj

    1. Tio Roger, obrigada pela mensagem carinhosa… que delícia saber que fazemos parte do seu dia… você tb tem feito do nosso a cada mensagem e pensamento. Estamos nos comportando!!! rs… beijo enorme, Ro.

  7. Amei ler suas impressões sobre a India. Já há algum tempo tenho pensado em você e hoje finalmente tive a maravilhosa idéia de visitá-los por aqui!
    APROVEITE MUITO,
    beijos
    LU

  8. Robersson e Gutones. Olha eu aqui! Robs, tks pelo cadastro!!!! Adorei. E vc tá escrevendo bem, hein, moça! Os relatos estão incríveis! Os títulos também.
    Agora, quero saber se o Guto fez a barba no salão que vcs fotografaram…rs.  Saudades. Volto aqui logo mais!
    beijao
    Marinelson

    1. mary!!!
      seus comentários são de jornalista! Adorei… vc deve saber como é difícil colocar bons títulos… eu sofro um pouco, mas às vezes tb me parece óbvio…
      Me dá um estágio na volta???
      Sobre a barba do Gutones, ele fez sozinho… mas o mais atual corte de cabelo e as unhas… adivinha!!!! Tô prendada mulher! hahaha… e não é que ficou bom, vc vai ver nas próximas fotos aqui.
      beijo enoooorme

  9. Muito boas as fotos, Ro.
    Essa coisa das mulheres, parecida ao que te falei no meu post, em resposta ao seu comentário…triste…
    Quanto mesmo nos ja andamos para uma legitimizaçao? Quanto?
    Precisamos falar mais, trocar essas sensaçoes
    beijos
    Li

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

− 2 = 6