Viver a cidade

Viver a cidade

Depois de um tempo de convivência, as pessoas acabam tornando-se amigas. Narender já em Mossoorie, nos convidou para jantar no Guest House onde estava hospedado. Organizou tudo com o cozinheiro do “hotel”, encomendou a comida, comprou as cervejas.

Ao chegarmos em Delhi, reforçou o convite para jantarmos na sua casa. Dois dias livres em Delhi e o convite para jantar na casa de um “amigo”, nos fez viver mais a cidade. Andar a pé livremente, conhecer as ruas, pegar o metrô, jantar em restaurante, na casa de amigo.

Pegamos o metrô e encontramos com o Narender e Gauri, sua filha de 3 anos. Em um riquixá seguimos até sua casa. Orgulhoso nos recebeu já com a cerveja em mãos. Conhecemos sua esposa Miran (não sei ao certo como se escreve), que cozinhou para nós.

Seguindo a cultura machista (só pode ser isso, não perguntamos), ela cozinhou e não comeu com a gente. Chato, mas é a segunda vez que presenciamos isso aqui, então deve ser o costume. Outra vez foi a caminho de Amritsar, quando almoçamos na casa do cunhado de Narender e o mesmo aconteceu.

Abstraindo, como nos sugeriu um amigo que já veio à Índia e outro que leu os textos e deixou um comentário no blog, conseguimos ter dois dias muito bons em Delhi, viver a cidade do nosso jeito, no nosso tempo, antes de voar para Varanasi.

  1. Oi meninos, que bom que já chegaram ao Tibet e estão bem. Fiquei preocupada quando soube que o terremoto era perto do Tibet. Agora o vulcão da Islândia que está pertubando a Europa. Celina, segundo Flavia me disse, ia para Londres e não pode embarcar pois os aeroportos do norte da Europa estão fechados por causa da chuva de cinzas. Continuem seguros e com a proteção divina. Beijos e carinhos e até o dia 28 quando estarei de volta. Lucia

    1. Lucia querida, obrigada pela atencao… estamos bem sim e como vc disse continuaremos seguros e com a protecao divina se D’us quiser! beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

− 1 = 1