Live to learn and you learn to live

Live to learn and you learn to live

Além da mudança de roteiro quando queremos, há também a necessidade de mudar de roteiro quando não queremos.

Logo em seguida de fazermos a nossa vontade indo ao Kumbh Mela, fizemos a vontade do acaso vindo a Mussoorie e não ao programado ashram.

Ao sair do festival fomos direto a Rishikesh, estávamos com tudo programado para ficar

cinco dias em um ashram. Como somos iniciantes no assunto, tudo o que tínhamos era uma dica ou outra de um amigos e algumas opções que gostaríamos de conhecer e escolher um para ficar.

Surpresa! Todos lotados. Será por causa do Kumbh Mela? Ou sempre é assim? Em alguns ashrams nos disseram que teríamos que fazer a reserva com um mês de antecedência, justificando assim a impossibilidade de ocuparmos um dos poucos quartos ainda disponíveis. Outros nos disseram que teríamos que ficar no mínimo doze dias.

Fora do esperado e curioso pois nunca soubemos da necessidade de fazer reserva, nem por amigos, nem através do guia de viagens, tivemos que mudar os planos.

Tínhamos cinco dias livres, mas não podíamos ir muito longe e, aqui na Índia tudo é longe. Viemos a Mussoorie, uma cidade em cima de uma montanha de 2.000m de altura. Para quem achava que não se pode descansar na Índia, a não ser em um ashram, é possível! Uma cidade bem pequena, um hotel delicioso, nada pra fazer…. descansar, lava roupa, por a vida em dia. Há que se ter jogo de cintura, encarar numa boa estas mudanças inesperadas e ver o lado bom. Afinal são só cinco dias numa viagem de dez meses. Mas o melhor mesmo a fazer é aprender com elas, já estamos pesquisando e reservando um ashram para Tailândia ou Indonésia.

Bom mesmo foi conhecermos um vila de tibetanos que vivem aqui na montanha, com direito a visitar uma escola onde moram e estudam crianças órfãs, conhecer mais sobre sua cultura que conheceremos melhor em breve, ouvir uma aula cantada de poema tibetano do lado de fora da sala de aula e ver várias placas pelas paredes da escola com dizeres de vida como “Live to learn and you learn to live”. Uma energia muito boa.

  1. Meus queridos, adorei saber que não sou tão loura, pois consegui me comunicar. Confesso que estou tão encantada com o que vocês escrevem e com as fotos, que já estou mudando meu conceito sobre a India. Acho que o incidente sobre o ashram, para vocês foi proveitoso pois para chegar a espiritualidade nem sempre o ashram atualmente tão em moda, talvez não fosse tão legal. Adorei a escola e as crianças tão lindas e arrumadas. A paisagem das montanhas. Também penso que o imprevisto na viagem torna ela mais interessante. A troca da guarda achei um barato. Eu já gosto de uma farra. Fiquei curiosa para saber a cor da cueca.Bjs

  2. Oi, vou viajar no dia 16 aproveitando 2 feriados na semana, mas, nada impede de comemorarmos com muita bagunça. Hoje o Rio ficou submerso com um temporal que durou 12 horas. Tudo fechou, escolas, funcionários publicos, comercio. A Lagoa transbordou e invadiu as pistas, O caos é completo.Bjs

  3. É… viagem tem dessas coisas, talvez por isso seja tão bom viajar! aproveitem tudo, programados e improvisados…
    Beijos e saudades! Carô

  4. E ai, td bem?????
    Finalmente me inscrevi no site de vcs, realmente minha velocidade nao eh das maiores hehehe…
    qdo terminar minha correria das ferias vou esmiucar direito o site de vcs pra dar minha opinioes…
    espero que esteja tudo bom demais por ai…
     
    vcs nao querem dar uma passada na grecia esse finde pra me fazer companhia nao?!?!?!? heheh
    abssssssss….

  5. Bo…andei pensando em vc esses dias. Vim cheretar o “relicario” e adoro, é muito bom poder acompanhar a aventura de vcs.
    Bjs com saudades,
    Dani K.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + = 10