Kumbh Mela

Kumbh Mela

O que torna uma viagem como esta instigante é a possibilidade que temos de mudar o roteiro quando quisermos e, mais ainda, quando encontramos pessoas no caminho que nos acrescentam informações e nos fazem querer mudar.

Assim foi desde que decidimos ir à Índia e viajar pelo “Rajastão”. Um amigo nos comentou que Amritsar era imperdível! Outro nos disse que Udaipur não era tudo isso. E um casal que conhecemos nos falou sobre um festival que a gente não podia perder!

Na Nova Zelândia conhecemos um casal, ela brasileira, ele belga. Até então só havíamos encontrado pessoas que diziam estar de férias e, pela primeira vez, ao perguntarmos o básico: há quanto tempo estão aqui, o que já fizeram, etc etc.. eles responderam: estamos fazendo um ano sabático, vamos viajar o mundo. Eba!!!  Finalmente um casal para trocar ideias. Que aliás, foram muito válidas para nós.

Através deles descobrimos o Kumbh Mela, maior encontro religioso do mundo, que concentra milhares de pessoas a cada três anos na Índia. O festival roda quatro cidades onde, de acordo com a lenda hindu, acredita-se que na guerra entre deuses e demônios pelo néctar da imortalidade, quatro gotas do néctar caíram nestas cidades. Peregrinos de todo país vão ao festival, a beira do Rio Ganges se purificar. Ou seja, é uma sorte estar na Índia no ano e época em que ocorre o festival. E lá estávamos nós.

Este ano o festival aconteceu na cidade de Haridwar e nós fomos conferir. A cidade estava toda decorada para a festa. Luzes coloridas, hotéis lotados, pessoas pelas ruas, religiosos de crenças diferentes, pregando sua fé pelas ruas, fazendo demonstrações de seus rituais. Macacos atravessando a rua pelos fios de energia!

Às margens do rio Ganges, os ghats estavam lotados de pessoas prestes a entrarem no Ganges ou recém saídas molhadas, purificadas. Outras tantas rezando e fazendo oferendas ao rio, com velas e flores. Enchenado suas garrafas com a água sagrada para levar para casa, para amigos que encomendaram (há lojas por toda a cidade vendendo garrafas de plástico para isso). Vacas sendo tratadas como deuses, pessoas parando e rezando, colocando a mão, proferindo bênçãos.

Passamos apenas um dia lá, não pegamos um dos dias dos “banhos”, mas presenciamos o evento que às 18h reúne todos à beira do Ganges para uma reza,  enquanto escurece e as luzes coloridas vão tomando conta da paisagem.

  1. Rô, que TESSSSSSÃO !!!
    as fotos da India são de arrepiar ! as cores, os lugar, e as luzes !?? ah, ahhhh, thanks pelo pouco de sonho na manhã cinzenta de SP, love you…

  2. pessoal!!!! estou aqui lendo, lendo e não queria parar de ler nunca mais…. quanta historia boa, como é bom saber de vcs!!!
    to muuuuito feliz de ver a transformação indiana nas cabeças paulistas!!!! vcs venceram! conseguiram tirar um pouquinho de nossa ocidentalidade e curtiram a viagem!
    enorme saudades!!!
    beijos niu!

  3. Como acontecem coisas pelo mundo enquanto estamos aqui vivendo nossa vidinha…
    E vocês presenciando isso tudo e nos dando o prazer de dividir através do BLog!!
    Show!
    Beijos saudosos

  4. Ro Estou adorando a “nossa” viagem.Continua aproveitando e não questiona a vida, éla é de cada um e não podemos muda-la, só aceita-la. Da. Marta mandou um recado para vcs : relaxem e gozem rsrsrsr.  Agora vamos curtir o Luca e a Isa.
    Saudade
    Bijo
    Ro2
     

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 1 =