Índia Ville

Índia Ville

Eu nunca fui de jogar The Sims, Farm Ville ou coisas do gênero, mas pela primeira vez resolvi jogar, no meu imaginário, “Índia Ville”.

A primeira coisa que fiz foi entrar em contato com o Embaixador do Brasil na Índia. Ele me atendeu e, com muita gentileza, escutou o que eu tinha a lhe dizer.

Me colocou em contato com o 1º Ministro e conversando com ele, expus minhas intenções e consegui um empréstimo do governo para arrendar um lote de terra no estado de Punjab. Em seguida, ele me deu o contato de algumas pessoas que poderiam me ajudar.

Com a ajuda destas pessoas comprei um carro, mais parecido com uma kombi e contratei um motorista.

Construi uma casinha na terra arrendada, arrumei o pasto e comecei a fazer uma horta.

Entrei em contato com dois veterinários para saber suas disponibilidades e interesses em ajudar.

Aos poucos eu e um dos veterinários começamos a viajar pela Índia recolhendo um limite de 30 animais, entre eles vacas, bezerros e cachorros, por dia – ele contribuindo com sua técnica para recolhê-los e eu identificando os lugares mais críticos. Assim diariamente temos tempo de chegar a fazenda ainda cedo, onde o outro veterinário nos aguarda e examina um a um. Ao chegar na fazenda damos banho e alimentamos a todos, medicamos os adoentados, vacinamos os necessitados, ou seja todos, e os colocamos para dormir.

A cada dia este número cresce, em um ano, com muito trabalho imagino que será possível recolher quase todos os animais da ruas, levá-los a um lugar onde serão bem cuidados e viverão em contato com o verde, longe da poluição, como deve ser. Em pouco tempo precisarei arrendar mais alguns lotes de terras e, com o bom resultado da horta começarei a vender legumes e verduras para toda a Índia como forma de financiar meu projeto, já que a Índia é grande consumidora destes produtos. Assim como, começar a angariar fundos com pessoas interessadas pela causa não só na Índia, mas fora dela também.

Terei que optar entre morar aqui ou, ficar entre Brasil e Índia. Neste primeiro ano, com certeza, ficarei aqui coordenando o projeto.

Verei as vaquinhas, os cachorros, os bezerros engordarem e minha fazenda será um lugar de muito aconchego e vida.

Se assim fosse a Índia estaria limpa, sem bichos na rua.

Aí a Índia perderia sua característica.

Aí a Índia não seria mais a Índia.

E nada disso seria possível, principalmente porque eu não poderia mudar a cultura de um país inteiro, com séculos de história e, que ainda por cima não é o meu país.

Só mesmo no “Índia Ville”, eu posso fazer meu mundo ideal e estar onde quero, com as facilidades que preciso ao meu alcance, tendo o poder e principalmente o subsídio para mudar o que para mim não está correto.

Agora entendo o intuito desses jogos de uma segunda vida, uma vida virtual, onde tudo é possível. Quem sabe não passo a aderir a algum deles, já que o meu me trouxe instantes de fantasia e felicidade. Acho que o propósito é esse mesmo, não é?

  1. Querida Roberta (e Guto),
    estava passando por aqui soh pra mandar um sinal de fumaca e fazer contato pos-Nova Zelandia, mas depois de ler o penultimo post tive que escrever algumas palavras de conforto…

    Nao da pra falar que a India nao eh nada do que vcs estao vendo, principalmente pq VCS estao vendo!

    Mas eu queria mandar um pouquinho de energia boa pros coracoes de vcs e encoraja-los a ir pra Rishkesh, no norte, ou num vilarejo proximo a Trivandrum, ao Sul e passar alguns dias num ashram…

    Esquisitamente, a India tem um lado de uma energia tao boa… praticar yoga de manhazinha na beira de um lago limpo, vendo o sol nascer… isso existe nessa terra que parece ter sido esquecida por Deus…

    Nao sei se vou manter essa impressao na minha segunda viagem, mas a primeira me trouxe algumas experiencias menos duras do que toda a sujeira e miseria que estao por todo lado…

    Se ajudar, visitem o site do instituto de Yoga isvara (www.isvara.com.br)… eu pratiquei yoga por um tempo la e eles sempre vao pra india e escrevem um blog que vcs conseguem achar no site… Pode ser fonte de inspiracao pra lugares que acalmem mais a alma…

    Eh claro que nao da pra fechar os olhos pra todo o resto da realidade triste desse pais, mas naum acho q vale a pena deixar a India sem experimentar um pouquinho de iluminacao…

    No mais, quero dizer que foi um prazer enorme conhecer voces em Rotorua e q eu to torcendo pra gente se encontrar em algum outro canto do mundo!

    Bju Gigante

    Vanessa (acho q se o Jan tivesse aqui pediria pra eu assinar com o nome dele tb, etnao aqui vai: ) e Jan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

75 − 74 =